Meter Definition of Meter at Dictionary.com

Um sonho teu

Acaso estás em pé vigília,
ou sonhas solto, feito aurora,
um sonho céu antes da hora?
O anoitecer se embriagar
no ubíquo raio do luar.

Já tarda em terra de Jaci,
naturalmente, meu guri,
um sonho teu há de existir
-- um anjo ao céu há de subir
e tu sonhar, se estás aqui.

Lugar nenhum… luar… caju…
teu corpo deita-se em adur.
O amor e a dor, oh no! My poor,
são dois os lados, mesmo um
no tem-processo que estás tu.

Labuto os versos, a morrer...
És anjo e deves, tu, descer
em pipa leve… éter… pipe…
Tal como a gente baixa o kite
no mar de morros no horizonte.

Cantar e só. Conhecedor
que impassível, todo o Belo
é um grau terrível e singelo
do inescrutável primo medo;
tão morto, vive em seu pudor.



Charlie Moon. 04/06/20.
submitted by bemtevitor to rapidinhapoetica [link] [comments]

Bezentacil

No começo desse ano nasceu um furúnculo na axila da minha perna direita (atrás do joelho). É, eu sei, é nojento! Pra começar nem sei como essa coisa grotesca nasceu em mim. Eu tratei ele, colocando compressas mornas até estourar sozinho, daí o tratei com Furacin e, quando ele desinchou e secou, usei um antisséptico para cicatrizar a ferida.
Quase um ano depois o furúnculo reapareceu no mesmo lugar. Provavelmente ele não teria expelido todo o carnegão, devendo ter ficado uns pedaços dele lá dentro ocasionando o retorno. Daí eu fiquei um pouco mais preocupado... se essa porra ficou quase um ano na minha perna, com certeza já entrou na minha corrente sanguínea e começaria a nascer em todos os locais do meu corpo. Então eu decidi ir ao pronto socorro num hospital público. PÉSSIMA IDEIA!
Ao chegar na emergência, sou atendido por um recepcionista pouco atencioso. Com um urro quase que primitivo, pediu minha identidade e perguntou o que eu tinha. Ali, na frente de todos, respondi que eu tinha uma ferida na perna que não estava cicatrizando... com outro urro primitivo ele me entrega a ficha e manda eu me dirigir para dentro do hospital.
Quando eu entrei pela porta principal, vocês sabem aquele cheiro característico que todos os hospitais tem? Se eu não me engano é o éter que é usado junto com outros produtos de limpeza pesados com o intuito de prover mais força na limpeza? Pois é... não tinha esse cheiro! O cheiro que pairava era um cheiro de podridão! Como se tivesse um esgoto aberto ali perto... só por isso eu deveria ter dado meia-volta e ter ido embora, mas decidi ficar pra ver no que dava.
Depois que fui encaminhado ao médico, que por sinal era um clínico geral e não um dermatologista, por mais que na designação do hospital no site do governo do estado deixava claro que ele tinha especialização em dermatologia. Pensei comigo mesmo: "-Beleza!" Olha a designação do médico... "Clínico Geral", o cara tem que ser um pica-das-galáxias pra ser um clínico e, além disso, ser "geral"! Ao chegar em sua sala, informo tudo isso, que era um furúnculo que tinha renascido e que eu estava com medo de passar para meu corpo todo. Mas o diagnóstico, ah... o diagnóstico...
O clínico geral, que por sinal era uma médica, disse pra eu tratar o recém nascido furúnculo com compressas mornas e esperar ele secar e cair, prescreveu uma receita de antibiótico e designou que eu tomasse uma bezentacil lá naquele momento.
— Como é que é?
— Bezentacil, no momento que sair entregue esse papel para a enfermeira aí em frente.
— Espera, eu não entendi... você quer que eu tome uma bezentacil?
— Sim, qual o problema!?
— PREFIRO PERDER A MINHA [email protected][email protected]#!
Saí em um disparate! Peguei minhas coisas, a receita, abri a porta e corri. A médica saiu da sala chamando a segurança e as enfermeiras tentaram me segurar, mas eu corri. Cheguei na porta principal que dividia o meu futuro de tomar uma injeção do capeta ou de seguir a minha vida em paz junto com a probabilidade de perder a minha perna para um furúnculo gangrenado.
Percebi que o segurança que estava na porta de entrada ainda não sabia da minha recente fuga da sala da médica, então eu entreguei a minha ficha, e em cima do aviso de "tomar bezentacil" eu deixei a receita do antibiótico.
— Opa, tá aqui... acho que estou liberado, ela passou esse remédio.
— A beleza, pode ir.
**Porta se abre**
— EI! NÃO DEIXA ESSE HOMEM SAIR!!!
Nesse momento eu corro, o segurança não consegue me segurar, tropeça e leva um tombo daqueles! Ainda ouço ele falando no rádio quando eu estava saindo pelo porta principal indo em direção ao estacionamento... quando eu estava a poucos passos da saída que dava para a rua, uma viatura da polícia militar entra, paro de correr, disfarço, mas as enfermeiras que estavam logo atrás de mim avisam a polícia, daí corri.
Corri como se minha vida dependesse disso para não tomar a bendita da bezentacil.
Tu é louco! Perco minha perna, mas não tomo uma bezentacil dessas! Vai pro inferno com essa injeção do capeta, cujo o próprio é quem fabrica essa desgraça!
Se eu tivesse morrendo de sífilis ou de AIDS até que eu me sacrificaria e tomaria essa injeção demoníaca. Mas, um furúnculo?! Tranquilo... deixa eu aqui mesmo... qualquer coisa eu esquento um ferro e queimo esse filho da puta. A dor que sentirei com certeza será bem menos do que tomar uma bezentacil.
submitted by ToPoDjiDjO to brasilivre [link] [comments]

Ariadne, a cidade da rainha dragão

Essa é mais uma cidade do meu mundo homebrew de Parabellum. Espero que vocês consigam tirar ideias interessantes daqui.

Ariadne

Visão

Uma formação rochosa em forma de taça se eleva sobre um pequeno planalto rodeado de várias colinas cobertas de casas negras. Essas casas feitas de lama e ossos de wyvern são obscurecidas pela longa sombra projetada pela principal formação rochosa. Uma pequena escada liga as colinas a um pequeno platô e uma rampa leva ao topo da formação. A sombra faz com que a cidade abaixo fique em constante escuridão, então as pessoas usam o feitiço Chama Contínua dentro de lanternas azuis e rosas para iluminar as ruas, e a maior parte da cidade é atingida por "chuva", que na realidade é a água da parte superior caindo na cidade.

História

A rainha do dragão, Hwang-geum Tongchija, nasceu no topo dessa estranha formação rochosa no início de Parabellum. Ela é um dos primeiros seres a existir. Para acabar com sua solidão, ela criou cinco dragões metálicos para manter sua companhia e, quando viram a necessidade de acumular riqueza, decidiram criar criaturas para trabalhar para eles, Hwang-geum criou os kobolds, enquanto os outros dragões metálicos criaram os dragões.
Corrupção
O envenenamento por chumbo da rainha dragão está criando um campo mágico que chega longe da cidade e está mudando a natureza dracônica. Dragonborns que sentem culpa pelos erros que cometeram e dragonbrons com alinhamentos malignos estão começando a se tornar corruptos e a perder suas escalas metálicas por cromáticas. Há 25% de chance de que, ao entrar na cidade, um dragão cromático apareça. Role um d6 para decidir a cor do dragão: 1 - Preto, 2 - Azul, 3 - Verde, 4 - Vermelho, 5 - Branco, 6 - Sombra. Escolha uma "idade" para o dragão recém-nascido de acordo com o nível do seu grupo.
Sociedade
Ariadne é uma cidade de três níveis e governada por dragões metálicos, pois os dragões cromáticos ainda estão por vir à vida. A rainha do dragão, Hwang-geum Tongchija, governa junto com um conselho, cujos membros juntos têm o mesmo poder que ela. Os dragões vivem em um platô acima da cidade dracônica, alheios à maioria das transgressões entre sua criação, os draconatos.
Os dragonborns vivem no nível mais baixo da cidade, construindo casas sobre as colinas abaixo do platô, onde as casas mais altas são de propriedade dos cidadãos mais ricos e poderosos. Eles têm que pagar tributos aos dragões na forma de tesouros que compram, roubam ou conquistam. Alguns draconatos se tornaram proficientes em fazer jóias para esses fins. Os draconatos nunca encontram seus senhores, em vez disso, o tesouro é coletado e entregue a um grupo especial de draconianos que vivem nos castelos que bloqueiam a entrada do platô. A maioria dos dragonborns fala apenas dracônico, e aqueles que falam em comum costumam ter um ensino superior. A maioria das tábuas mágicas são escritas em comum e estão fora do alcance da maioria das pessoas comuns.
Terrasys
Terrasys (Terraforming systen) é um satélite que orbita Parabellum, pairando acima de Ariadne por volta das 16h. Os kobolds reaproveitaram a tecnologia para escanear a superfície em busca de criminosos procurados.
O sistema foi originalmente criado por seres humanos como um meio de encontrar fontes de carbono e transformá-las em gás com um feixe poderoso. No entanto, os kobolds inventivos encontraram esse sistema em Ariadne e assumiram o controle do raio, mirando em seus inimigos. Quem tem controle sobre o terminal no terceiro nível pode fazer um teste de inteligência CD 22 para comandar o satélite para atacar um ponto específico do mundo (desde que o satélite esteja sobre aquele local). O feixe causa 55 (10d10) de dano de fogo e 21 (6d6) de força.
Kobolds
Os kobolds no terceiro nível descobriram dados antigos sobre Tiamat e se tornaram cultistas da rainha do dragão diabólica. O plano deles é envenenar a rainha Hwang-geum, para que ela enlouqueça e depois prossiga com um ritual de sacrifício para transformá-la no avatar de Tiamat. O ritual inclui envenenamento por chumbo de um dragão de ouro até que ele enlouqueça e, em seguida, faça-o devorar cinco dragões metálicos, depois cantar uma invocação para Tiamat enquanto o dragão de ouro banha-se em sangue de dragão.
Sanjeog
Sanjeog é um grupo de criminosos que roubam tesouros dos viajantes e os usam para pagar os impostos e viver melhor do que em comparação com seus compatriotas que trabalham duro. Seu esconderijo é uma série de túneis sob a maior colina, com a única entrada secreta dentro de sua padaria, chamada Miànbao, de propriedade do mestre padeiro Miànbao Ji. O líder deles é Lupi An-ui, um veterano half-dragon azul que viaja com uma varinha de bolas de fogo pronta para disparar. Ele tem um acordo com o kobold chamado Fangpi, de quem compra itens mágicos em troca de parte do saque.
Yi Jí Zhànshì
Os Zhànshì são um grupo revolucionário que planeja derrubar os kobolds, seu plano atual é tentar contrabandear alguém para dentro do conselho no terceiro andar com histórias de como as pessoas estão vivendo mal, na esperança de que o conselho aprenda sobre suas vidas duras e decida mudar. O líder deles, Gemìng Hónsè, é um veterano nascido do dragão de ouro e acredita corretamente que os kobolds estão filtrando as informações que o conselho recebe para impedir que alterem a estrutura social que mantém os kobolds no poder. No entanto, ele está preocupado que algumas de suas escamas douradas estejam caindo e sendo substituídas por escamas vermelhas, a razão desconhecida por trás disso é que Gemìng está sendo corrompido pela culpa de matar uma criança durante um ataque rebelde a uma caravana kobold.

Primeiro nível - Diyiji

O primeiro nível, chamado Diyiji, é composto por várias colinas de diferentes tamanhos e centenas de casas, feitas com ossos de grandes animais e lama negra seca e colocadas sobre essas colinas de maneira desorganizada. A sobra da comida que os dragões comem é jogada nos níveis mais baixos, deixando a cidade com o aspecto de um aterro sanitário.
Os jogadores podem conhecer algumas personalidades notáveis ​​deste nível, como:
Gemìng Hóngsè, o líder dos revolucionários Zhànshì, passando seu tempo livre na biblioteca lendo tabuletas de guerra.
Miànbao Ji, o padeiro mestre da cidade, responsável por alimentar as centenas de habitantes da cidade, com pão muito abaixo do preço normal (graças ao patrocínio do grupo criminoso Sanjeog).
Nosugja Namja, um plebeu sem teto commoner com 1 hp que enlouqueceu depois de beber água venenosa de uma fonte na floresta de cerberus, ele sempre pede dinheiro e, se receber alguma coisa, joga o dinheiro na pessoa dizendo que não vai aceitar desrespeito dos outros.
Agmaui Yeoja é um guarda da cidade que passa seu tempo livre no DRAG no pub da cidade. Ele é um espião secreto dos revolucionários Zhànshì.
Ming, um commoner dragonborn de cobre que deseja fugir da cidade e viver uma vida de crime, mas não pôde se juntar ao Sanjeog por sua falta de discrição e incapacidade de mentir.
Locais no primeiro nível:
A A.G. é uma enorme fábrica onde 96% das dragas trabalham, recebendo 1% das jóias produzidas por elas como pagamento (apenas o suficiente para cobrir os impostos exigidos pelos kobolds). Uma gigante senzala com mesas compridas, onde milhares de pedras preciosas e barras de ouro são derretidas com sopro de dragão, batidas e moldadas em jóias pelos trabalhadores mal pagos. Jaebeol é o dono do lugar, dragonborn branco, mas ele não é encontrado em nenhum lugar, pois na maioria das vezes ele está viajando pelo mundo com o dinheiro que ganha.
O albergue Hoseutel é o único local disponível para os viajantes dormirem e está cheio dos clientes estranhos. Cada quarto custa 1 peça de ouro por dia, por pessoa e tem o mínimo necessário para ser considerado um albergue. Os alimentos podem ser pedidos separadamente e sempre são servidos frios e encharcados. Entre as pessoas que ficam aqui estão um druida anão chamado Qazam de Apollinaris que vende todas as poções incomuns no DMG, um mago githyanki chamado Inigida procurando o book of vile darkness que ele acredita ter caído neste mundo, e um halfling plebeu chamado Viśrānti viajando ao redor do mundo.
A padaria Miànbao é o esconderijo secreto do grupo criminoso Sanjeog, que rouba dinheiro dos viajantes draconatos e estrangeiros para obter itens mágicos, entre outras coisas, dos kobolds no terceiro nível. Acessar o esconderijo exige que um nascido do dragão diga a senha para Miànbao Ji, que é "pão sem ovo". Os personagens que passam algum tempo na padaria terão vislumbres de alguns membros entrando nos fundos da loja dizendo coisas como "Eu vim pelo pão sem ovo" e "Posso comprar um pão sem ovo, chefe?"
O pub Nun-ui Yong é um pub degradado feito com o que parece ser ossos de dragão e madeira escura. Os buracos no teto fazem com que a água da chuva caia sobre os clientes enquanto eles bebem cerveja e sakê doce. Sendo o único pub de verdade na cidade, a maioria das pessoas não se importa com a qualidade da comida ou com as condições do local, desde que obtenham o que pediram.
A delegacia é onde menores criminosos são mantidos antes de serem julgados. Gyeongchal é o chefe corrupto da polícia, um draconato branco prateado, com um belt of dwarvenkind que ele recentemente recebeu de Sanjeog e gloves of snaring missiles que lhe permitem reduzir ataques de armas à distância em 1d10 + seu modificador de destreza. Se os personagens são pegos por algum crime, como roubo ou assassinato, eles passam 1d4 + 2 horas esperando por um julgamento, onde Gyeongchal decide que eles são culpados e colocam seus nomes para extermínio por Terrasys, pois ele realmente não se importa o suficiente para manter criminosos trancados aumentando seu trabalho. É mais fácil envia-los para serem alvejados pela luz mágica nos céus.
As escadas do segundo nível são longas e grandes, feitas de ossos e lama que levam as pessoas ao segundo nível, um platô de 100 pés. acima da colina mais alta.
Silheomsil é um laboratório escondido na base do platô, veja mais abaixo.
Taiteuhan Maejang é o mercado da cidade, centenas de dragonborn passam o dia lotando as quatro ruas que compõem o que é apelidado de mercado de terra. Dezenas de vendedores ambulantes colocam seus itens sobre mesas de madeira e osso, gritando um com o outro e chamando os clientes a experimentarem frutas ou carne. As pessoas vendem e usam drogas abertamente nessas ruas e não é incomum ver alguém desmaiado sendo assaltado. Os membros da Sanjeog ganham dinheiro nesse mercado vendendo itens mágicos incomuns e raros que não desejam mais.
Missões no primeiro nível:
Picada de mosquito
Os agentes de Sanjeog descobriram que um item mágico chamado “Mordida de Mosquito” (adaga que cura 1d4 com 3 cargas diárias) está na posse de um viajante gith noble que está passando pela cidade procurando comprar drogas. O githzerai, que leva o nome de Nullak Azarzig, é atacado quando os PCs passam pelo mercado. Ele lhes dá 400gp se eles o protegerem e salvarem sua adaga. Se eles não fizerem nada, no dia seguinte a adaga estará disponível para compra no mercado. O grupo de atacantes consiste em três bandits draconatos de cobre e um bandit captain dragonborn.
Criança perdida
Eomeoni é uma plebéia draconata de cobre, cujo filho fugiu para o segundo nível. Ela está disposta a dividir com três dias em rações (toda a comida que ela possui) em troca de seu filho. A criança, Adeul, pode ser encontrada no segundo nível dentro de 1d4 horas e está disposta a voltar com os personagens, se eles forem amigáveis.
O oblex
Sasil é um draconato de ouro noble que vive em uma das colinas mais altas da cidade. Ela está preocupada com sua criada draconata de cobre, que está agindo de forma estranha. Ela pergunta se alguém pode falar com a empregada e investigar. A empregada, chamada Gajeongbu, está angustiada depois de descobrir o marido de seu chefe, um draconato de prata chamado Geojis foi substituído por um Oblex adulto, embora a empregada não saiba o que é um oblex, ela sabe que o draconato cheira e fala de maneira estranha. Ao ser descoberto, o oblex mata e assume o lugar de Sasil, tenta demitir os heróis além de consumir a criada.
Porta estranha
Um draconato desabrigado, cujo nome há muito esquecido, diz que viu uma porta na base da pedra do terceiro nível. Se os personagens investigarem com ele, encontrarão a porta do laboratório Silheomsil.
Ajude os Stormcloaks
Banlangun é um draconato de prata do grupo Zhànshì que está tentando levar uma caixa de alimentos altamente calóricos de Apollinaris para Ariadne, para alimentar os pobres em sua região de controle, mas a caravana foi atacada por um wyvern a caminho e perdeu a comida. Ele paga aos personagens que ajudam com qualquer arma +1.
Ajude a padaria
A padaria Miànbao está contratando pessoas suspeitas para espancar dois jovens bandidos que não pagaram pelo "pão". Os jovens drogados são dois draconatos de cobre chamados Malih e Wana e podem ser encontrados usando drogas em uma casa abandonada.

Segundo nível - Dierji

O segundo nível, chamado Dierji, é o local reservado para os dragões menores que ainda são considerados superiores aos draconatos. É uma milha de largura e duas milhas de comprimento. Para atingir esse nível, você precisa subir as escadas do segundo nível ou voar 100 pés da colina mais alta da cidade. Das escadas, os personagens encontram uma estrada dourada que leva aos portões do terceiro nível, enquanto nesta estrada, os personagens não são atacados por nenhuma criatura do segundo andar.
Aqui drakes, wyverns e pseudodragon vivem em uma floresta de árvores esparsas e chão rochoso, com a maioria dos alimentos sendo os restos dos banquetes dos dragões no nível mais alto.
O grande monte coberto de plantas e musgo visto no meio deste andar é uma tartaruga-dragão criada tristemente por Partum Lapis longe da água. Incapaz de deixar o platô, a tartaruga-dragão descansa, aguardando algumas mudanças e permite que ela voe para longe ou se teleporte para o oceano, o nome da tartaruga-dragão é Olaedoen San. Para cada hora que se move por esse nível, role para a tabela de encontros aleatórios:
| d100 Encontro | |: ---: |: ------------ | | 1 - 25 | Nada. | | 26 - 40 1d4 + 2 guarda azul drakes. | | 41 - 55 1d4 - 1 wyverns (min. 1). | | 56 - 70 1d6 pseudodragões. | | 71 - 99 1d4 preto guarda drakes liderar por 1 guarda vermelho drake. | | 100 Olaedoen San
Para alcançar o terceiro nível, os personagens devem andar pela estrada dourada, uma caminhada de uma hora feita pelos kobolds para esgotar quem tentar alcançá-los. Deixar a trilha reduz a viagem para 20 minutos, mas as câmeras na floresta registram os rostos dos personagens e enviam para a Terrasys. Observar a câmera antes de ser gravada exige um teste de Sabedoria (percepção) CD 18.

Terceiro nível - Shenji

O terceiro nível, chamado Shenji, é o lar dos verdadeiros dragões metálicos. Elas vivem em êxtase ignorante, recebendo tesouros e comida dos kobolds, que lentamente envenenam a rainha em um monstro maligno ganancioso, para seu ritual. Esse envenenamento faz com que ela às vezes aja como seu equivalente maligno.
O plano kobold
Trinta kobolds moram no terceiro andar, comandados por Lashi, um artífice kobold de pele vermelha com um arco curto +1. O plano deles é fazer com que a rainha do dragão Hwang-geum devore seus subordinados durante um eclipse duplo (quando as duas luas cruzam o sol ao mesmo tempo). Fangpi, um warlock kobold de pele vermelha, com uma capa de banco de montanhas, é o responsável para o ritual e o veneno alimentar, ele nunca sai da sala do trono. Chuwanwei é um inventor kobold de pele azul com um anel de proteção e uma inteligência de 23, que é o único capaz de comandar a Terrasys, usando um computador antigo que ela consertou usando livros encontrados no laboratório.
Os jogadores podem encontrar alguns dragões neste nível:
Huang Tóng é uma dragão de bronze adulta faladora e curiosa, ela rapidamente aprende novos idiomas e gosta de perguntar sobre a cultura local. Ela tem muito medo de ir contra a rainha e voará para longe em caso de briga.
Qīng Tóng é uma dragão de bronze adulta, animada e contente, que gosta de assumir a raça da pessoa com quem está falando. Ela pode ser convencida a vir para o lado dos jogadores, se eles parecerem curiosos e aventureiros.
Long Tóng é uma dragão de cobre adulta sempre cercada por fairy dragons que ela chama de filhos, eles adoram brincar com outros dragões e kobolds. Ela tentará parar qualquer briga que aconteça, até a morte.
Yín Dàshī é uma dragão prateada adulta preguiçosa, que passa a maior parte do tempo dormindo e contemplando sua reflexão sobre as jóias que possui. Ela é leal à rainha do dragão e a defenderá a todo custo.
Jīn Tàiyáng é uma dragão de ouro adulta estudiosa, mas cautelosa, ela finge comer a comida que os kobolds lhe trazem, mas à noite ela caça pássaros para se alimentar. Ela é magra e fraca, mas já suspeita das tramas dos kobolds. Se ela conseguir uma desculpa para deixar o palácio e investigar, ela irá. Ela é a única pessoa que ajudaria os personagens com qualquer coisa que eles precisassem sem precisar convencer o necessário.
Hwang-geum é a rainha do dragão de Ariadne, ela foi envenenada pelos kobolds e seu corpo mostra sinais de corrupção. Em vez de ficar completamente coberta de ouro, Hwang-geum tem uma energia escura fluindo sob suas escamas, o que é visível para quem olha atentamente para seu corpo ou à vista de todos quando olha para seus olhos. Suas escamas de ouro também estão se tornando cromáticas, com cores diferentes crescendo em lugares diferentes. Ela se comporta como um dragão de ouro na maioria das vezes, no entanto, quanto mais tempo uma conversa é, mais impaciente ela se torna e mais violenta.
Hwang-geum é uma dragão de ouro adulto com o seguinte ataque de sopro no lugar do sopro de fogo: ___ > Respiração por plasma (custa 3 ações). Hwang-geum respira uma explosão de plasma quente em um cone de 90 pés. Cada criatura nessa área deve fazer um teste de resistência de Destreza CD 21, recebendo 72 (16d8) de dano de fogo em um teste que falhou, ou metade do dano em um teste de sucesso. Todo objeto de metal em contato com a respiração começa a brilhar em brasa. Qualquer criatura em contato físico com esses objetos recebe 9 (2d8) de dano de fogo. Se uma criatura estiver segurando ou usando os objetos e sofrer o dano, a criatura deve ter sucesso em um teste de resistência à Constituição ou soltar o objeto, se puder. Se não soltar o objeto, ela tem desvantagem nas jogadas de ataque e nos testes de habilidade até o início do seu próximo turno. Se os kobolds conseguem corromper Hwang-geum, ela se torna uma Tiamat Falha.
Locais no terceiro nível:
Os túneis de entrada são uma série de intricados corredores esculpidos e guardados por kobolds para impedir que alguém veja os dragões sem permissão. A movimentação pelos túneis garante encontrar pelo menos uma patrulha de 2d6 kobolds e 1d4 kobold inventores.
A sala do trono é conectada ao laboratório pelo elevador e conectada à parte externa através dos túneis de entrada. Três dragões estão sempre aqui, conversando frivolamente sobre filosofia e vida, às vezes discutindo fervorosamente a ética, o bem e o mal. No entanto, uma vez por mês, Hwang-geum chega ao trono, e todos sentam-se em silêncio enquanto a rainha faz discursos incoerentes sobre traição e conspiração, após o qual ela volta ao seu covil para comer e ter delirantes discursos por si mesma, planejando e descobrindo coisas que não são reais.
Fonte mágica Esta fonte mágica brilha uma luz amarela brilhante sobre os jardins, pois cria 1d4 gramas de ouro a cada hora.
O covil do conselho é um jardim gigantesco onde o conselho mora, cada dragão tem um lugar favorito, Huang dorme sobre uma enorme árvore nas margens do jardim, Qing construiu casas de diferentes raças para viver, e cada dia ela dorme parecendo um diferente Por um lado, Longa vida entre as flores e dorme em um monte perto da floresta, Yín dorme o dia todo no seu tesouro perto de Hwang-geum e Jīn quase nunca dorme, em vez de voar para o primeiro nível e ouvir a conversa nas ruas.
O Great Wyrm Lair é uma antena parabólica que se comunica com a Terrasys, que também serve como o covil de Hwang-geum. O prato tem 1.000 pés de amplitude está cheio de tesouros dos impostos que os draconatos pagam, todo mês seu tesouro aumenta enormemente, mas sua ganância nunca acaba. Um personagem pode acessar o controle direto dos Terrasys na base da antena parabólica com três verificações bem-sucedidas de inteligência DC 20 usadas para compreender e assuma o controle do satélite, cada verificação executa uma ação.
Tesouro: 42.000 peças de ouro, 3.300 peças de platina, uma cota de malha +1, uma espada vorpal, um caixão de criança em ouro puro (7500gp), espada longa dourada com bainha de platina (7500gp), 5000gp em escamas douradas, um trono de cristal feito por elfos de Granicus (5000gp), um mármore brilhante feito de éter puro (4000gp), a cabeça com joias do primeiro gigante nascido neste mundo (4000gp), uma corrente de ouro (2000gp), uma harpa de Granicus (2000gp), um escudo de bronze com um diamante no centro (500gp).

Lab Silheomsil

Entrada
Para entrar pela primeira porta, os caracteres devem passar por uma verificação de Inteligência DC20 (investigação) que permite que eles encontrem um botão oculto ainda funcionando. A porta no final da entrada só abrirá quando todos estiverem do lado de fora. O salão bombeia a sala cheia de ar e abre a segunda porta do vestiário.
O vestiário está cheio de roupas rasgadas e podres, a maioria ainda dentro dos guarda-roupas de metal. Os personagens podem avançar para o segundo andar por escadas, pois o cofre do elevador está vazio nesse andar. Um espectro de uma cientista morta chamada Moriana Bohn percorre este andar, atacando à primeira vista.
Armazenamento
O armazenamento contém dezenas de caixas de madeira cheias de pedras e sujeira que costumavam ser estudadas pelos cientistas deste laboratório.
Um personagem que investiga a sala encontra documentos detalhando estudos sobre a terraformação de um planeta chamado Marte, sobre a quantidade de oxigênio e hidrogênio no solo e as plantas para um poderoso sistema de aquecimento a ser colocado em um satélite. Os personagens podem avançar para o terceiro andar através de escadas, pois o cofre do elevador está vazio nesse andar.
Laboratório
Um único computador está quebrado no chão e as escadas para o quarto nível estão enterradas sob toneladas de pedras. Sobre os papéis de mesa de metal, cheios de cálculos para o satélite, estão sob o corpo de um cientista, que segura uma faixa de intelecto. Interagir com o corpo desperta o fantasma do cientista, que acredita que os personagens estão tentando roubar sua pesquisa. Na vida, seu nome era Edd Murray e ele é tão implacável na morte quanto na vida, quando lançava estagiários no deserto do planeta marciano com apenas um tanque de oxigênio se eles não obtivessem os resultados que ele esperava. Os personagens podem entrar no elevador neste andar e rastejar através de um buraco no teto para alcançar o quarto andar.
Sala de jantar
Comida podre por trezentos anos repousa sobre a mesa central, enquanto um fogão a gás enche a sala com gás explosivo. Qualquer feitiço ou faísca de fogo criado dentro desta sala explode a sala inteira, fazendo com que todos dentro sofram 2d6 de dano de fogo e a sala fique sem ar por três minutos. Duas sombras atacam bons caracteres alinhados assim que chegam à mesa. Os personagens podem avançar para o quinto andar através de escadas, pois o cofre do elevador está vazio nesse andar.
Quartos de dormir
Os corpos de três cientistas estão no chão, ainda em suas camas. Dois deles eram casados, e o marido agora é um Allip depois de um sonho ter vislumbres do futuro, o fim dos seres humanos e o nascimento da magia. Ele tenta colocar na mente do personagem visões de humanos tocando um meteorito e depois se tornando ladrões. Os personagens podem avançar para o sexto andar por escadas, pois o cofre do elevador está vazio nesse andar.
2 quartos
Cinco cientistas voltaram à vida como zumbis irracionais e vagam pelo chão tentando comer qualquer coisa que possam ver. Os personagens podem avançar para o sétimo andar através de escadas, pois o cofre do elevador está vazio nesse andar.
Centro de Controle
Um laptop em funcionamento neste andar é administrado por Ling Yao, um artífice kobold. Um grande datacenter registra tudo, de posições a rostos de criminosos procurados. Ling insere criminosos aqui para permitir que os Terrasys os eliminem.
Ele é acompanhado por sua torre, dez guardas kobold e um veterano kobold. O datacenter tem um AC de 20 e 200 pontos de vida. Uma vez destruído, o Terrasys é incapaz de atingir qualquer pessoa específica. Os personagens podem usar e modificar dados no computador com três testes de inteligência bem-sucedidos do DC 20. Os personagens podem alcançar o nível da sala do conselho através do poço do elevador.
submitted by jvcscasio to rpg_brasil [link] [comments]

Subscrição de serviços por SMS vindos do nada

Aviso a todos os redditors..
Acabo de receber um SMS do éter a dizer que me vão cobrar 2.99€ semanais por um serviço que desconheço e que não subscrevi.
Print da SMS
Já alguém recebeu mensagens destas?
Isto é assustador... acabo de ligar para o Apoio ao Cliente (MEO) e já me barraram estes "serviços" de valor acrescentado e devolveram-me o dinheiro.
Questionei o operador sobre como teria sido activado e veio com a conversa que carreguei num popup e não sei que... os browsers não tem acesso ao nº telemóvel de onde estão a ser executados. A única hipótese que vejo é que, de alguma forma, o acesso via 3G não está completamente seguro e o meu número está a ser comunicado de forma não cifrada.
Se receberem mensagens destas liguem de imediato para o Apoio.
submitted by deckard2019 to portugal [link] [comments]

Os Correios estão ajudando a matar meu interesse por teclados personalizados 😞

Ok, todos nós sabemos que o correio brasileiro está longe de ser eficiente. Só que a coisa está chegando num ponto insuportável.
No momento em que escrevo isso eu tenho 4 pacotes relacionados a teclados mecânicos. Um deles eu vou desconsiderar, porque foi postado na segunda-feira, apenas 2 dias atrás. Mas os outros três estão no éter há bem mais tempo que isso.
Meus projetos pessoais estão parados, entre outros motivos, por causa dessa espera. Você acaba desanimando, até porque eu não tenho mais dinheiro para queimar mandando entregarem em companhia de redirecionamento postal. O pior de tudo é saber que não há perspectiva de melhora, e nem me venham falar de privatização dos Correios, imagina o que uma empresa privada faria ao ter o virtual monopólio do mercado? Complicado.
Desculpem o desabafo, mas precisava botar pra fora.
submitted by vinnycordeiro to mkbr [link] [comments]

Só estou bem drogado

Vou começar assim: Eu adoro drogas, não sou nenhum viciado e até posso fazer uma lista não completa do que já experimentei recreativamente: Álcool, diazepam, alprazolam, victan, fenobarbital, modafinil, metilfenidato, cocaína, éter, dimenidrinato, dextrometrofano, noz moscada, cannabis/haxixe, canabinoides sintétitos tipo JWH-xxx, 2C-B, 2C-E, LSD, DMT, 25i-NBOMe, 25c-NBOMe, metilona... a lista podia continuar, e para ser franco até tenho um certo orgulho de tudo o que usei, alguma experiências foram LINDAS, especialmente os psicadélicos que fizeram com que eu conseguisse compreender melhor como é que funciona a consciência.
Tive sempre o cuidado de nunca ficar viciado em nada e até hoje só estive viciado em duas coisas: Tabaco (10 anos) e diazepam (1 ano). Diazepam foi fácil deixar, tabaco eu fumava 1 maço por dia mas não mas já não fumo há mais de 1 ano.
A minha vida não está arruinada pelas drogas, longe disso: Tenho emprego, pago as minhas contas, tenho casa, etc. Nem sinto que as drogas tenham danificado as minhas capacidades cognitivas, mas sempre que eu tento deixar por períodos prolongados a minha vida é uma MERDA. Principalmente os calmantes, porque eu tenho ansiedade.
Eu na semana passada voltei a tomar calmantes e no trabalho as pessoas não me irritavam, não me apetecia mandar toda a gente para o caralho, atendia as pessoas com boa disposição, tentava compreender o problema delas e fazia os possíveis para ajudar o melhor que podia em vez de só seguir o procedimento. Depois saí do trabalho e fui dar um passeio com os meus amigos, estive horas a falar com eles, conversas interessantes e entusiasmantes para os dois lados, nunca fiquei aborrecido nem os aborreci.
Eu já tentei de tudo: Yoga, meditação. Eu tenho anos de pratica de yoga, já tentei banhos de água fria, banhos de água quente, passeios, etc e enquanto que esses coisas delaxam, o relaxamento é categoricamente diferente. Nos calmantes o relaxamento é um relaxamento descpreocupado, no yoga e meditação o tumulto continua a estar dentro do cérebro mas temporariamente estamos mais elevados e distanciados do tumulto. Não é o silêncio que os calmantes dão.
Eu só queria estar limpo e tenho espcecial medo dos calmantes porque o meu pai toma calmantes e é um chato do caralho porque perde a noção. Mas a vida é tão intragável sem drogas.
submitted by supermegadrogado to desabafos [link] [comments]

Soldado

A arma repousa à minha esquerda, num sono desconfortável e revelador de inquietude. Ensinam a fazê-la cantar, até que o silêncio que ela trará, traga, em si, paz. Sinto-a sempre tão quente por estes dias. Quente como se as minha mãos e o meu suor nunca a largassem. A ela tudo é justificado e ilibado, perdoou-lhe tudo (como amante me diz ser), não sou capaz de olhá-la de frente (como amante que me é). Ela é prepotente, e não, nunca arrefece. O seu corpo nú vive num éter vivo e sem cheiro. Intemporal. Deusa de beleza cruel. Conhece todos os caminhos de má fama por capricho. Caminhos por onde canta a sua melodia, indiferente.
Acordo, tateio uma área familiarmente vaga à minha esquerda. Encontro o comando. Desligo o canal de notícias em hora de documentário tardio. (e Ela começa a cantar)
Levanto-me com um apetite de uma voracidade extrema e percorrendo trevas lá encontro o frigorífico. Preparo uma sandes que é, apenas isso, uma fatia de pão saloio com mostarda, e vou comendo, morosamente, encostado à bancada da cozinha. (e Ela continua a cantar)
O telemóvel de várias teclas começa a emitir um toque polifónico. Levo a côdea na mão até à sala e atendo. "Pai, vou demorar um pouco mais a chegar...perdi o 161, vou apanhar o 124. A menos que me queiras vir buscar claro..." "Deixa estar, apanhar um pouco de vento talvez te faça bem". Desligo. (e Ela dança preparando o refrão eterno)
Vou até a varanda. O silêncio a esta hora é um regalo, que eu faço por acompanhar com um cigarro. (e Ela canta a plenos pulmões) Debruço-me sobre a guarda da varanda e procuro por coisas a que possa fazer mira, e disparo em considerações: (BANG) a vizinha deixou uma só piuga no estendal, quem é que se esquece de uma piuga no estendal?; (BANG) o gato da rua deve ter visto um pássaro morto, porque está com uma peneira a atravessar a estrada que só visto; (BANG) sou o único neste refúgio alado, todo o resto deve estar entretido com qualquer coisa corriqueira que não levará a lado nenhum...
(BANG) o cigarro acabou.
Derrotado enfrento o ar pesado e húmido do quarto, levanto a roupa da cama e sento-me, atiro os chinelos de pele de ovelha para o tapete, apago a luz. (e a Ela reinicia)
Dizem que há uma demora de até cinco gerações para que um mamífero em vias de extinção perca medo do seu predador. Dizem-no... a quem não sabe contar. Os dedos não se desenlaçam da prece, cinco gerações são cinco testemunhos que voltam ao início da estafeta se um dos elos da cadeia partir...e os elos são tão finos, tão frágeis.
submitted by Alfre-douh to escrita [link] [comments]

DESCOBRINDO SEU ELEMENTO 5/5 - ÉTER Solosolar - Éter (clipe) neuter - pronunciation (American, British, Australian ... Spay/Neuter Patient Care: Patient Prep - Canine - YouTube MEUTE - Hey Hey (Dennis Ferrer Rework) - YouTube

Prefix & Area Code: 530-898-xxxx Campus Information: 530-898-4636 Campus Fax Number: 530-898-6824 Health & Safety Concerns: Meter definition, the fundamental unit of length in the metric system, equivalent to 39.37 U.S. inches, originally intended to be, and being very nearly, equal to one ten-millionth of the distance from the equator to the pole measured on a meridian: defined from 1889 to 1960 as the distance between two lines on a platinum-iridium bar (the “International Prototype Meter”) preserved at the ... Summary: Kenneth Meuter is 64 years old and was born on 09/20/1955. Right now, Kenneth Meuter lives in Flowery Branch, GA. Kenneth also answers to Kenneth A Meuter, Kenneth A Meuter, Kenneth A Meutter, Kenneth Alfred Meuter and Ken A Meuter, and perhaps a couple of other names. Neuter definition is - of, relating to, or constituting the gender that ordinarily includes most words or grammatical forms referring to things classed as neither masculine nor feminine. How to use neuter in a sentence. Clemens Meuter. I like the tyres good grip special in fast corners but the wear is fast only 6k and only 5 mm tread left. report • like • reply

[index] [3240] [3207] [4669] [2515] [34] [7070] [2348] [6311] [5838] [10482]

DESCOBRINDO SEU ELEMENTO 5/5 - ÉTER

ÉTER (Altair Santos / Guga Borba) Pensamentos vão atrás Sentimentos são totais Se no vácuo é que eu te encontro Se é meu éden quando eu perco É melhor imagin... Neutering is a very common surgical procedure that we do in order to prevent unwanted litters of puppies. Today, I am going to show you a neuter surgery that... Just an ordinary day in Rome. Our version of Dennis Ferrer's HEY HEY at Piazza Trilussa 🌈 DOWNLOAD, STREAMING & TOUR INFO: www.meute.eu Get in Touch: www.meu... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. This is the #pronunciation of #neuter in four #English dialects of American, British, Australian, and Welsh. Please note that these are typical pronunciation...

https://arabbinary-optiontrade.forexwe.pw